FESTIVAL KINOARTE DE CINEMA

Entre os dia 8 e 15 de novembro, pela primeira vez totalmente online você pode conferir o festival de filmes mais tradicional do Paraná: É a 22° edição do Festival Kinoarte de Cinema. Assista toda a programação na internet de forma gratuita no site https://innsaei.tv/. Todos os dias vão estar disponíveis no site sessões diárias de longa-metragens, e durante os fins de semana as sessões competitivas de curtas metragens, os filmes vão disputar o troféu Udihara e prêmios em dinheiro nas competitivas nacional, paranaense, londrinense e ibero-americana.

Não para aí não: depois da sessão do longa metragem, vai rolar um debate com o diretor de cada filme e você ainda pode participar das oficinas. Vão ser duas oficinas para o público interessado em produções audiovisuais com os temas:

Teste ao Set: O trabalho e a criação do ator no cinema e Montagem. Teste ao Set conta com a Áurea Maranhão atriz, diretora e performer, a oficina vai acontecer nos dia 09 e 10 de novembro, online e gratuita, com inscrições limitadas, as inscrições são atraves no link: https://forms.gle/Ts2aiSpu2GQRppt27.

Montagem, com a Marília Moraes, graduada em cinema, pós-graduada em Arte e Filosofia. Trabalha a 14 anos como montadora e consultora de montagem. A oficina rola nos dias 11, 12 e 13 de novembro, online e gratuita, com inscrições limitadas, as inscrições são através no link: https://forms.gle/PdKGranH4nCYv4qd9

O Samba é Primo do Jazz, de Angela Zoé

Abrindo o festival no dia 08 às 18h o documentário O Samba é o Primo do Jazz mostra a trajetória musical de Alcione Dias Nazareth, grande intérprete brasileira, sua inserção no mundo da música e sua relação com família e amigos. A cinebiografia nos aproxima de uma Alcione divertida, matriarcal e descontraída com a vida e o fazer artístico.

Fé e Fúria, de Marcos Pimentel

Já no dia 11 às 18h o documentário Fé e Fúria nos traz parte dos conflitos religiosos existentes em favelas e subúrbios do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte para analisar a crescente onda conservadora que paira sobre o país. O filme mostra o crescimento das igrejas evangélicas e suas relações com os traficantes que comandam as comunidades, resultando em inúmeros casos de intolerância religiosa.

Um Animal Amarelo, de Felipe Bragança

No dia 13 às 18h, o longa Um Animal Amarelo, conta a história de Fernando, um cineasta falido que mergulha em uma jornada entre Brasil, Portugal e Moçambique, em busca de pistas sobre o passado violento de seu avô. Uma tragicômica fábula tropical.

Banquete Coutinho, de Josafá Veloso

Encerrando o festival uma homenagem ao grande nome do cinema brasileiro Eduardo Coutinho é o filme Banquete Coutinho, a proposta é olhar para o cinema de Coutinho como um todo. Teria um dos mestres do cinema brasileiro feito sempre o mesmo filme? A partir de um encontro filmado com o diretor em 2012 e vasto material de arquivo, o filme mantém acesas as inquietações do cineasta, falecido dois anos após a entrevista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s