Fomos conferir: Visceral – Uma Instalação Intermídia

O espetáculo Visceral, instalado na estação Satyros na cidade de São Paulo estreou e nós do TeE fomos conferir e contamos tudo o que achamos, vem com a gente!

Como o próprio nome diz, o espectador é levado a uma imersão não só pela encenação, mas também por instalações que conversam e criam a ambientação do texto de Nanna de Castro.
Com a difícil tarefa de dar vida à uma dramaturgia de suspense sem cair no esteriótipo dos thrillers de terror já exaustados pelo público, a direção de Paulo Gabriel e Don Rosseto aposta em elementos mais subjetivos e não tão diretos para levar o público dentro do porão de um artista considerado, no mínimo, excêntrico.

A primeira parte da experiência se dá em uma exposição de obras de arte, onde todos os quadros tem áudio-descrições poéticas que reagem com a aproximação das pulseiras usadas pelo público. Andando no meio da sala, encontram-se quatro figuras, como se fossem obras de arte que ganharam vida, que transportam-se carregando placas com perguntas instigantes como: a arte é cruel?
Após esse primeiro contato, o público é dividido entre os que escolheram passar pelo ‘ateliê do artista’ e pelo ‘gabinete do crítico’. Passamos pelo ateliê, onde vimos o pintor trabalhando em uma de suas obras. São momentos mais rápidos, sem muito dinamismo, apenas uma passagem para o palco.

E é no palco onde tudo realmente acontece. Com a sensação de sermos levados ao porão da casa do pintor, vemos em cena o brilhante jogo dos atores Chica Portugal, Paulo Gabriel e Joca Andreazza. As 4 figuras anteriores reaparecem como uma representação física das obsessões e devaneios do artista, conduzindo a ação dramática sempre a seu favor. Com uma estética muito pautada no simbolismo surrealista, plasticidades não regulares, e um desenrolar não linear, a peça brinca com planos diversos, como o do delírio, em especial após a entrada da personagem de Iara Jamra, uma dependente química que ocupa a cracolândia.
Visceral é uma ótima experiência a quem busca um teatro de qualidade alternativo às grandes produções musicais e comédias comerciais de SP.

Informações:
Até 28 de outubro
Aos sábados e domingos, 18h e segundas às 21h
Estação SatyrosPraça Franklin Roosevelt, 134 – Centro, São Paulo (Prox. Metrô República ou Metrô Mackenzie)

AUTOR: JOHN MARQUES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s