As Palavras da Nossa Casa

O Núcleo Teatro de Imersão estreou “As Palavras da Nossa Casa”, peça imersiva e itinerante, livremente inspirada em obras do cineasta sueco Ingmar Bergman (1918-2007), no dia 17 de janeiro de 2020, na Casa das Rosas em São Paulo, e o TeE foi conferir!

Sem separação entre palco e plateia, a ideia é que o público seja conduzido por diferentes cômodos dessa mansão histórica na Avenida Paulista para acompanhar a história. Essa forma de aproximar a plateia foi muito bacana. Pra nós que estamos assistindo é interessante e diferente, é inevitável não se sentir parte da história, e andar pelos cômodos seguindo os atores, sério, da até vontade de interferir, hahahahah.

Situada nos anos de 1960, a trama narra a visita da famosa cantora lírica Charlote (interpretada pela atriz Gizelle Menon) ao casarão que sua filha única, Eva (Adriana Câmara), divide com o marido Victor (Glau Gurgel), que é um pastor presbiteriano. As duas, que não se vêm há muitos anos, e nesse reencontro tentam se reaproximar e resolver questões dolorosas do passado, como o fato de que a filha precisou lidar com a perda de seu único filho, enquanto a mãe tentava administrar as demandas de sua carreira internacional.

Para resgatar os sentimentos nobres que ainda existem entre elas, mãe e filha precisam encarar todas as mágoas, e, nesse processo, acabam proferindo palavras muito duras, de que, possivelmente, se arrependerão. É emocionante assistir a esse momento, todos temos questões familiares, e é aí a parte que mais nos identificamos. Independente do que se é dito nas cenas, a gente se vê ali de formas semelhantes e isso só faz melhorar a experiência.

A montagem busca a identificação com o espectador, ao tratar de temas como o amor, as cobranças e expectativas na criação dos filhos, as diferenças de geração, a falta de comunicação em relacionamentos, a esperança e os recomeços após dores profundas.

Os espectadores assistem a tudo isso acomodados em cadeiras espalhadas pelos diferentes cômodos da Casa das Rosas, como se estivessem mesmo na residência das personagens, e são obrigados pela própria cena a mudar de ambiente. “Pensamos em fazer a peça para a Casa das Rosas, que foi moldando totalmente a encenação. Nesse tipo de teatro, temos que fazer tudo pensando em um espaço, porque se mudamos de lugar, temos que trocar, por exemplo, todas as marcações”, revela Adriana sobre o processo criativo.

SERVIÇO
Casa das Rosas – Avenida Paulista, 37, Bela Vista
Temporada: de 17 de janeiro a 27 de março de 2020 (exceto dia 21/2)
Às sextas-feiras, às 18h30 e às 20h
Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$30 (meia-entrada)
Vendas online: https://www.sympla.com.br/nucleoteatrodeimersao
*Venda de ingressos no local da apresentação é realizada apenas 30 minutos antes de cada sessão
Classificação: 14 anos
Duração: 60 minutos
Gênero: Drama Imersivo
Site: https://www.nucleoteatrodeimersao.com/
Redes sociais: @nucleoteatrodeimersao

Texto por: Gabrielle Risso

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s