Fomos conferir: Alma Despejada com Irene Ravache

No dia 11/09, nós fomos convidados a assistir um ensaio aberto antes da estréia oficial de Alma Despejada, peça que comemora os 75 anos de Irene Ravache e escrita especialmente para ela por Andréa Bassitt e dirigida por Elias Andreato.

Da mesma forma de Brás Cubas de Machado, a personagem Teresa é uma defunta-autora, não uma autora-defunta, contando-nos sobre sua vida e de sua família em sua antiga casa.
O cenário simplista mostra uma residência que será vendida para novos donos, portanto só o que vemos são cadeiras, caixas de mudança, estantes vazias, uma janela sobreposta ao chão e uma caveira, que cria referências com Hamlet de Shakeaspeare sem precisar apelar para a fala do “ser ou não ser” para expressar dualidade da personagem.

Começando de forma despretensiosa, a atriz quebra a quarta parede e estabelece diálogo direto com o público, que se deleita com a serenidade de suas primeiras recordações. A relação que
se estabelece é tão singela, que parece que “conversar” com o espírito de Teresa é algo muito natural e corriqueiro.
Com o desenrolar da narrativa, os relatos ora hilários, ora sensivelmente tristes envolvem de tal maneira que os 90 minutos passam quase despercebidos. As transições são marcadas por uma iluminação que tonaliza os principais sentimentos de cada momento (por exemplo, azul para tristeza) e trilha sonora de piano e violoncelo.

O único ponto que é pouco aproveitado durante todo o espetáculo é o silêncio. Os poucos momentos em que Irene estava sem fala, totalmente entregue ao jogo cênico transicionando entre memórias, tinham uma potência gigantesca que não foi explorada pela direção. Talvez as transições para cenas tristes e agoniantes sem paisagem sonora de um piano que já entregava o tom da cena trouxesse maior riqueza a algo que já é feito com maestria pela atriz: a pausa.

A peça é um deleite para todos os tipos de público amante do teatro, sendo para nós uma aula de como entregar um monólogo com dinamismo, claramente feito com muito amor e entrega de toda a equipe.

Informações:
De 18 de setembro a 28 de novembro 
Quartas e quintas, às 21h.
Importante: Dias 9, 10, 30 e 31 de outubro não haverá sessão.
Classificação: 14 anos.
Gênero: comédia dramática.
TEATRO PORTO SEGURO – Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.

AUTOR: JOHN MARQUES

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s