Um olhar sobre: Tennessee Williams

Thomas Lanier Williams nasceu em 1911 em Columbus – Mississippi, filho de Cornelius Williams e Edwina Dakin Williams, foi um do autores mais adaptados para o cinema em todo mundo, e também um dos grandes dramaturgos americanos do século XX. Ele implantou parâmetros importantes de criação para a dramaturgia da época, além de receber muitos dos principais prêmios do setor teatral nos Estados Unido e no mundo ao longo de sua carreira profissional, que foi do final dos anos 1930 até sua morte em 1983.

Williams escreveu além de seus textos teatrais, contos, poesias, ensaios, roteiros cinematográficos e até um volume de memórias. Ele escolhe o nome “Tennessee” por conta dos dois anos que passou feliz em Nashville.

Cornelius Williams, vendedor de sapatos e pai de Tennessee, era alcoólatra e viciado em jogos de aposta, como consequência se tornou um pai com atitudes abusivas contra seus filhos.
Williams buscava inspiração para escrever em meio aos muitos problemas familiares. Segundo ele mesmo declarou em entrevista na década de 1970: “Descobri na escrita uma fuga de um mundo real no qual me sentia profundamente desconfortável.”

Quando o exército o recusou, seu pai que era veterano de guerra, piorou o tratamento contra Tennessee e ainda o obrigou a largar o jornalismo para trabalhar em uma fábrica de sapatos. Foi aí que o autor começou a se entregar a bebida alcoólica e foi internado em um sanatório.
Nesse período escreve Cairo, Shanghai, Bombay! Que foi a primeira peça da comunidade teatral Glemview em Memphis.

Williams era muito próximo de sua irmã Rose, que sofria de esquizofrenia. Sem respostas a terapia, Rose foi submetida a uma lobotomia e fica incapacitada pelo resto da vida, o que faz seu irmão mais chegado culpar os pais pelo resultado, já que eles autorizaram o procedimento.
Infelizmente, esse fato pode ter contribuído para seu alcoolismo e dependência química de anfetaminas e barbitúricos.

Em 1944 escreve “À Margem da Vida”, primeira peça com estrutura em termos teatrais, que foi um sucesso de público e crítica.
Começa a escrever, em 1947, Um Bonde Chamado Desejo (que realmente existiu em Nova Orleas) enquanto estava na St. Peter Street, n. 632, e a terminou mais tarde, em Key West, Flórida, para onde se mudou nos anos 40.
Em 1969 sofre um colapso motivado pelo uso de álcool e medicamentos. Depois desse episódio, as obras de Tennessee deixa de ter a criatividade de antes e nem o mesmo sucesso.

Em Nova Orleas ele se apaixona por Frank Merlo e o relacionamento dura até a morte de Merlo, com câncer em 1963. Foi essa estabilidade de relacionamento amoroso que permite que Williams crie seus trabalhos mais duradouros, já que Frank oferecia equilibrio durante suas crises de depressão.
E foi em 1983, antes de completar 72 anos, que Williams morre em Nova York.

Texto por: Gabrielle Risso (mas pode me chamar de Gabi)

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s